O que é um logo?

Na minha concepção particular, desenvolvida após anos elaborando identidades visuais, o logo é… uma ponte. Sim, isso mesmo.

Explico: Logos funcionam associando letras e símbolos a um significado maior: algo que transcende o significado original do termo e/ou do símbolo utilizados. Por exemplo: todos sabemos que o logo da Apple não representa simplesmente a maçã, a fruta, mas sim a empresa e tudo associado a ela.

Ao ser exposto a um logo, seu cérebro carrega toda a informação que tem sobre aquele fabricante e/ou aquele serviço e/ou aquele produto. Se você teve boas experiências com produtos/serviços fornecidos por aquela empresa, ao se deparar novamente com o logo dela você estará mais predisposto a considerar uma nova aquisição, pois já depreende que será no mínimo tão boa quanto as experiências anteriores.

E o mesmo vale para experiências negativas. Nessa situação você já tende a descartar, temendo uma nova experiência ruim. E nesse caso, a culpa não é do logo, certo? Da mesma forma que você não pode culpar uma ponte por levar a um lugar ruim: aquela é a função dela, e ela a cumpriu.

Assim é com os logos: eles são simples atalhos mentais, a representação gráfica de algo.